A RESPONSABILIDADE DO PERDIDO

Nº 37 – BOLETIM DOMINICAL- 11 DE OUTUBRO DE 2015

A RESPONSABILIDADE DO PERDIDO – Ez. 33:1-11

Vivemos uma época em que está presente o fermento religioso. Igrejas por toda parte, com vários nomes e uma variedade de gosto doutrinário. Vemos no bojo de suas doutrinas o mercantilismo da fé e para justificar o procedimento, o antigo sincretismo religioso presente. Percebe-se uma correria avassaladora dentro deste movimento, muitas pessoas entram e com a mesma facilidade saem. São numerosos os desviados e decepcionados com o Evangelho e a questão dos perdidos aumentam com a realidade social secularizada, capitalista e consumista. O materialismo se afirma como suposta alternatiza pelo ter no contraponto ao Ser. O hedonismo (filosofia dos prazeres) moderno é um outro apelo tentador na vida dos desviados e perdidos. Vemos o problema e temos a solução. O assunto é sério e muito delicado. Pois, em princípio, o perdido não tem consciência de seu estado. Ele é insensivel as realidades espirituais. Não necessariamente por culpa sua. O fenômeno religioso não leva em conta a conscientização cristã e doutrinária. Há uma certa satisfação em saber  que o perdido nada saiba, conheça ou entenda. Mas o perdido é responsabilizado por sua rebeldia, e seu endurecimento de coração ou por seus constantes adiamentos de compromisso com Cristo e Seu Evangelho. È maravilhoso ver que Deus não tem prazer na morte do perverso. Deus deseja e providenciou os meios de graças para que o perverso se converta do seu mau caminho, e viva. O Profeta de Deus exclama, dizendo: “Converetei-vos, converetei-vos dos vossos maus caminhos; pois, por que haveis de morrer, ó casa de Israel?” (Ez. 33:11b). O tesxto profético é preciso. Fala da responsabilidade do verdadeiro Atalaia, em relação aos perversos e aos justos.  Tanto em um como no outro caso, a responsabilidade do atalaia é “avisar” – avisar da parte do Senhor. No texto, “morrer” é partir desta vida antes da restauração – regeneração; “viver” é desfrutar dos privilégios do Reino. Aqueles que ouvir a trombeta e não se der por avisado, “o seu sangue será sobre a sua cabeça”, A responsabilidade é dele, é do perdido. O atalaia de Deus, deve pregar a Palavra a tempo e fora de tempo.      Rev. Mario Ramos

 

 

 

Rev. Mario Ramos