A QUEM, ONDE E COMO ADORAR?

Nº 269 – BOLETIM DOMINICAL- 13 DE ABRIL DE 2014

A QUEM, ONDE E COMO ADORAR? – Jõao 4: 19 -30

Assim ensinava o Reformador João Calvino: “Adoração somente a Deus; a qualquer que seja o outro, ainda que a anjos, se constitui numa grave idolatria”. Diante de nós, continua a cena do encontro marcante entre Jesus e a mulher Samaritana. Vimos no início, a maneira usada por Jesus para tocar no ponto nevrálgico da vida desta mulher. Percebe-se que  a samaritana tenta desviar a conversa, aproveitando-se de uma antiga disputa existente entre Judeus e samaritanos sobre o lugar da adoração, dizendo: “Senhor, vejo que tu és profeta. Nossos pais adoravam neste monte; vós, porém, dizeis que em Jerrusalém é o lugar onde se deve adorar” (vs. 19-20). Para os samaritanos o lugar era o monte Gerizim em Samaria, o verdadeiro lugar da adoração. Para os Judeus, era no Monte Sião, onde estava construído o templo em Jerusalém, o único lugar do culto a Deus. Jesus deixa claro para a mulher que não está preocupado tanto com o lugar, mas sim com a atitude do adorador e da adoração. Percebe-se que a adoração que Deus deseja não está limita a lugares nem depende de qualquer símbolo material, não depende de liderança humana e muito menos, de instituição religiosa. “Deus é amor, e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade” (vs 24). A mulher por sua vez, nos surpreende, revelando que os samaritanos tambem esperavam a vinda do Cristo, o Messias, tanto que disse isso.  (vs.25). Mas, surpreendida ainda foi a prórpia mulher samaritana em ouvir esta declaração de Jesus: “…Eu o sou, eu que falo contigo” (vs. 26). Quantas vezes você já foi confrontado com o convite para ir a Cristo? Ou você se sente tão religioso, ao ponto de não atender o convite de Cristo? O que falta para você responder positivamente a este urgente apelo? Algumas pessoas ainda não foram a Cristo, por ter encontrado erros nas Igrejas. Têm presenciado o mau comportamento de membros e líderes. De fato, tornou-se um hábito “natural” um “crente” ser sinônimo de cristão. Isto é realmente lamentavel. São esses “pedras de tropeço”. Entretanto, não serve de desculpa diante de Deus. A mulher samaritana não era um exemplo de virtude em Sicar. Mas ela abandonou o seu cântaro e  sua velha água em troca da àgua Viva. A bênção foi imediata.  Rev. Mario