A PERSEVERANÇA DOS SALVOS

BOLETIM DOMINICAL- 14 DE ABRIL DE 2013

A PERSEVERANÇA DOS SALVOS – (Jo.10: 22-42)

“ Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, eternamente, e ninguém as arrebatará da minhã mão” (Jo. 10:28).

 

Uma vez salvo, salvo para sempre! Ou você tem alguma dúvia a este respeito? O que diz a Bíblia: “Somos salvos pela graça, mediante a fé, é dom de Deus; não de obras, não vem de vós, para que ninguém se glorie” (Ef.2:8-9). Está dito que a salvação é obra da livre graça de Deus em nós. Vimos nos últimos editoriais uma sequência lógica de temas que favorecem este nosso princípio doutrinário: A Perseverança dos Santos. O homem criado conforme a imagem e semelhança de Deus, caiu, pecou, desobedeceu, rebelou-se contra Deus porque tinha até então o livre arbítrio. Com a queda e após a mesma, perdeu o seu livre arbítrio, quanto ao bem espiritual, porque morreu, e morto não tem nem vontade, nem emoções, nem conhecimento e nem capacidade para decidir. Está morto, e morto não reponde. Quem diz isso é Bíblia: “A alma que pecar, essa morrerá” (Ez.18:20); “O salário do pecado é a morte” (Rm.6:23). “Pois todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Rm.3:23). “Estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo – pela graça sois salvos” (Ef. 2:5). Assim o homem caído, morto, sem Cristo, sem vida, sem Deus não tem livre arbítrio. Aristóteles e São Tomás de Aquino defendiam, equivocados, o livre arbítrio total. O homem pensa que é livre, mas não é. Ele é escravo do pecado. Ele faz a vontade da carne e é um filho diabo. Pode doer aos ouvidos, mas é a mais pura verdade. Somente Cristo pode ressuscitá-lo, dar-lhe vida, libertá-lo e fazer deles um filho de Deus, por adoção em Jesus Cristo. (Ef. 2:5 e 6; Jo. 8:32 e 36; Rm. 8:14-17). Quem nasceu de novo é nova criatura, é nova criação, foi ressuscitado com Cristo (Ef.2:6). Com esta nova criação em Cristo, restaura-se tambem o livre arbítrio (2 Co.5:17). É Deus quem vocaciona, elege, nomeia, sustenta, exige, e cumpre de Si mesmo as promessas. Somos chamados, somos convertidos, confessamos a Jesus, somos batizados e inseridos no Corpo de Cristo, a Igreja. Esta Perseverança dos Salvos decansa na imortalidade de Deus, na fidelidade de Deus e na permanência de tudo aquilo que Deus faz. É pelo poder de Deus que o salvo está seguro para sempre. Isto não significa impecabilidade, nem tão pouco um convite ao pecado. “Quem está em Cristo é nova criatura”. O crente pode eventualmente pecar; mas não vive pecando, diz João, (I Jo. 3:4,6,8 e 9). Este editorial é um estudo simples, prático e objetivo. A finalidade é de orientar à igreja local e para abençoar outras vidas. Neste caso, louve a Deus por ser este salvo que persevera em Cristo!       Rev. Mario Ramos