A NOSSA IPB EM BUSCA DE NOVOS RUMOS

Nº 158 –  PASTORAL – 29 DE JULHO DE 2018

A NOSSA IPB EM BUSCA DE NOVOS RUMOS – Mt. 5:13-14

Disse Jesus: “ Voces são sal da humanidade… e luz do mundo…”. Nossa Assembléia Maior – SC/IPB, está reunida dos dias 22 a 29 de Julho, em Águas de Lindóia/SP. Estamos em oração para que nossos Deputados representantes (Pastores e Presbíteros), sejam iluminados em suas deliberações em busca de novos rumos à Igreja. A nossa amada denominação Presbiteriana do Brasil, sempre esteve na vanguarda no nosso torrão brasileiro como uma Igreja histórica, reconhecida, respeitada e admirada pelo abençoado serviço prestado ao Reino de Cristo e ao Brasil desde 1859, com a chegada do nosso Miss. Aschel Green Simonton e sua família, no Rio. Foi no Brasil Império, que se deu a organização da igreja, sendo publicado em Diário Oficial do Império do Brasil, no dia 11 de Outubro de 1872. Nosso Miss. Simonton, teve como amigo e conselheiro D. Pedro II,  do qual, recebeu apoio à implantação e disseminação da fé evangélica em solo brasileiro. Esteve a Igreja presente durante a República Velha em 1889, e ainda mais, no período delicado do golpe civil-militar de 64 a 85. A Igreja, com todo o seu prestígio, buscou sem hesitar, se relacionar politicamente com o Estado permitindo as divergências eclesiáticas no seu posicionamento frente às questões éticas, sociais, políticas e econômicas colocadas no contexto do Regime Militar e da Guerra Fria. A Igreja, no pós-democracia, muito avançou em seu cresimento holístico, com sua nova filosofia de Ministério com Plantação de Igrejas. Na década de 90, foram mais de 350 novas Igrejas e apenas no ano de 95, foram 10 novas Igrejas. Porém, muita agitação no cenário doutrinário incomodou a Igreja e deixou alguns prejuízos, nos últimos anos. Outro aspécto a consniderar está na seara política do País. A mim, me parece, que nossa Igreja, tem estado tímida, e sua voz profética acuada. Sabemos o quanto nós presbiterianos podemos  oferecer a nossa Pátria na qualidade de “sal da terra” e “luz do mundo”. Foi assim, com o Presbiteriano, Presidente Café Filho, ao substituir Getúlio Vargas. A igreja precisa pontuar questões como: democracia, o Estado de Direito, imigração,familia, educação,  missões, ação social, minorias. Rev. Mario

 

Rev. Mario