A NECESSIDADE DE ARREPENDIMENTO

Nº 169 –  PASTORAL – 14 DE OUTUBRO DE 2018

A NECESSIDADE DE ARREPENDIMENTO – Ez. 18:25-32

Hoje no Brasil, um dos maiores problemas que prejudica gravemente a convivência do povo de Deus e da sociedade é a falta do autêntico amor cristão. A cegueira espiritual, tantas vezes verificada em alguns arraias evangélicos, tem trazido consequências desastrosas para a vida de muitas pessoas, inclusive, dentro do próprio lar. Criticar a incredulidade alheia é fácil. Mas criticar, a fé religiosa que não passa de um ódio disfarçado, como se vê no atual momento conjuntural político-religioso torna-se impossível. Jesus condena o ódio disfarçado no desejo de justiça. Jesus condena a hipocrisia disfarçada no contexto da teologia moral. Jesus condena a dissimulação na busca da santidade. Jesus ensina a viver sob a perspectiva da Graça Salvadora. O profeta Ezequiel, em pleno cativeiro babilônico por volta de 580 a. C. convoca o povo ao arrependimento  (v. 27). Arrepender-se é mudar de idéia, de opinião, de vida e de direção. O nosso Brasil, está à deriva e sem direção. Nossa liderança e liderados carecem da glória de Deus. Seja no A. Testº ou no N. Testamento, o arrependimento é uma necessidade fundamental ao relacionamento com o Senhor. Etmologicamente, hás duas palavras em hebraico e uma em grego para significar “arrependimento”. Seja “NÁHAM” ou  “SHÚBH”, no primeiro, se o homem muda em sua atitude, Deus age com ele em conformidade com seus atos. Na segunda, e um voltar-se do pecado e da desobediência para Deus. Enquanto no grego, “METANOEÔ”é basicamente, uma mudança de mente, de atitude e de direção. É voltar-se para o Senhor de todo o coração, alma e forças. É um equívo subestimar-se o lugar da tristeza e do repúdio ao pecado. Pode existir uma tristeza mórbida que não traduz em arreepedimento; é o caso de Judas e de Esaú (Mt. 27: 3-5 e Hb. 12:17). A tristeza pelo pecado é um ingrediente indispensável para o arrependimento evangélico, mas não é tudo. É preciso desenvolver uma repulsa ao pecado e uma atração para Deus. A necessidade de arrependimento como condição para a salvação é clara no Novo Testamento. A fé é o único instrumento da justificação. Precisamos de arrependimento e fé para a salvação e para a vida.   Rev. Mario Ramos

 

.   Rev. Mario