A IMORTALIDADE DA ALMA

Nº 54 – BOLETIM DOMINICAL- 15 DE MAIO DE 2016

A IMORTALIDADE DA ALMA – I Cor. 15: 50-58

O Tema, “ imortalidade da alma” está interligado ao da “ ressurreição do corpo; arrebatamento da Igreja; juízo final e vida etrna “.  A Bíblia afirma que o homem foi criado por Deus para a vida eterna. A queda, o pecado, veio roubar-lhe a vida  tanto a física quanto a espiritual. “ O salário do pecado é a morte”. Cristo veio para destruir a morte, e destruir a “causa mosts” que é o pecado; e assim Ele trouxe a luz a vida  e a imortalidade, ou seja, a vida eterna. ( I Tm. 1: 10-11). Disse Heródoto, historiador grego, teriam sido os egípicios os proimeiros a ensinarem a imortalidade da alma, ou seja, provendo os túmulos com as armas e os alimentos que o Faraó usaria na eternidade. Outros povos antigos tambem manifestavam a sua crença na imortalidade da alma. Os gregos, especialmente Platão, em 427-347 a. C., ensinava a preexistência e a imortalidade da alma e mais ainda, que durante a vida a alma ficava aprisionada no corpo. Na cultura hebraica, o home foi criado ser vivente, por isso não entendam alma sem corpo, nem corpo sem alma. A Bíblia diz que Deus criou o homem “ e lhe soprou nas narinas o fôlego da vida, e o homem passou a ser alma vivente”. (Gn. 2:7). A alma ou o espírito é a parte não material do homem. Cremos que a alma do homem é imortal e que permanece viva depois da morte física. A morte física é apenas o portal de entrada à vida eterna. A vida eterna e a morte eterna parecem implicar estados de consciência plena, na totalidade da persona. Leia sobre o coxixo no céu entre Lázaro, o mendigo, e o rico (Lc. 16:20-29). Observe que  Lázaro e o rico estavam conscientes, raciocinavam e conversavam sobre assuntos referentes a terra, o céu e o inferno.  Alguns teológos da reforma usavam e defenderam a expressão “imortalidade da alma”, como siginificando algo que não conflita com o entendimento da Bìblia. João Calvino, ensinou que Adão teve uma alma imortal, entretanto para ele não é algo inerante à natureza humana, mas é comunicada à alma por Deus. Nós cremos e defendemos que a parte – não material do homem, o sopro de Deus, o Espírito de Deus no homem não morre e não pode morrer. Cremos na imortalidade da alma.              Rev. Mario Ramos