A IGREJA DO TERCEIRO MILÊNIO: ESTILO DE VIDA COMUNITÁRIA

BOLETIM DOMINICAL- 20  DE OUTUBRO DE 2013

A IGREJA DO TERCEIRO MILÊNIO: ESTILO DE VIDA COMUNITÁRIA

“Da multidão dos que creram era um o coração e a alma. Ninguém considerava exclusivamente sua nenhuma das coisas … tudo, porém, lhes era comum” (At. 4:32).

Numa análise mais aprofundada, o conceito de igreja cristã transcende à mera concepção de instituição sócio-religiosa. Igreja é uma entidade espiritual, planejada na mente soberana de Deus e implantada na história dos homens, não como organização humana, e sim, como expansão do Reino de Cristo, trazido ao tempo para consumar-se na dimensão da eternidade. Igreja é um organismo vivo, corpo de Cristo, reproduzindo suas células espirituais na sublime e misteriosa genética divina. “…acrescentava-lhes o Senhor, dia-a-dia, os que iam sendo salvos” (At. 4:47). Na perspectiva do teólogo Francis Schaeffer, no final do século XX, a igreja cristã “deve ser cuidadosa em firmar-se claramente pela verdade, seja na doutrina, seja na prática, mesmo quando isto se constituir em tarefa difícil e custosa. Deve ser mais do que um mero local de pregação e um agente promotor de atividades, precisa demonstrar um senso de comunidade.” O texto acima, revela o estilo de vida comunitária idealizada por Deus: 1) Firmeza Doutrinária: “E perseveravam na doutrina dos apóstolos…” trata-se de vida pautada pelo ensino essencialmente bíblico. Compromisso com a Palavra e com o Deus da Palavra; 2) Comunhão Interpessoal: “…e na comunhão…” Koinonia – comunhão com Deus e com o próximo. Significa isto, muito mais que estar meramente juntos ou reunidos; 3) Refeições Comunitárias “…no partir do pão…” o lar como extensão da igreja; a igreja como consolidação do lar – a família de Deus; 4) Unidade Espiritual: “…nas orações…orando “com” e “pelos” outros”; 5) Temor Constante: “…em cada alma havia temor…”. Deus honrado e reverenciado em sua santidade, glória e justiça. Temor que gera fidelidade e serviço; 6) Assiduidade no Templo: “Diariamente perseveravam unânimes no templo…”. Fatos imprescindíveis à vida cristã; 7) Adoração Contínua: “…louvando a Deus..” 8) Identificação Social: “..contando com a simpatia de todos…” Igreja que entra no mundo sem que o mundo entra na igreja. Diferente para fazer diferença. 9) Fruição e fluição da graça: “…e em todos eles haviam abundante graça.” (At. 4:33). A igreja recebe de Deus “toda graça” e  reparte este amor de Deus com o mundo. Sejamos a Igreja Cristã, neste terceiro milênio, cristocêntrica, fiel à fé que uma vez foi entregue aos santos, comprometida coma verdade e promotora de mudanças na sociedade. Bem-vindos, ao almoço da comunhão!             Rev. Mario Ramos