A GLORIFICAÇÃO DOS SALVOS

Nº 27 – BOLETIM DOMINICAL- 02 DE AGOSTO DE 2015

A GLORIFICAÇÃO DOS SALVOS – Rm. 8: 18-30   (v.30)

Depois que Adão pecou, ele arrastou consigo os seus descedentes edênico (Éden) e bem como toda a Natureza que até então fora perfeita, pois foram criados num estado de retidão e o Criador os abençoou para o cumprimento de seus planos. Ao homem, Deus  fê-lo a Sua imagem e semelhança, sendo esta estrutural e funcional – Diz o Teólogo Lois Berkhof (Gn. 1: 26-28). Vemos desta forma, o homem em seus três tempos: Antes da Queda; Depois da Queda e o homem Depois de Cristo. (Rm. 8:19-23). O caminho para a glória passa pelo Calvário. A glorificação dos salvos está na sua identificação com Cristo crucificado e ressurreto. É em Cristo que encontramos a salvação, a justificação, a regeneração, a santificação e por fim a glorificação. Tais doutrinas fazem parte da essência da igreja cristã, assim como estrutura, forma de governo, ofícios, quando estudados em sua base bíblica. O texto acima, fala da glória a ser recebida na manifestação dos filhos de Deus. Este tipo de glorificação vai alcançar a própria criação, através do Filho de Deus e dos filhos de Deus, (Rm. 8: 14-17). Somos salvos pela graça, mediante a fé; estamos em um processo de santificação, no qual o próprio Espírito de Deus nos ajuda e nos assiste em nossas fraquezas. Ele intercede por nós e em nós, segundo a vontade de Deus (v.28). Existe um chamado evidenciado e está ligado à vocação eficáz; é o chamado para a salvação. A justificação está muito próxima da regeneração e da santificação – estas doutrinas são praticamente sinônimos. A justificação é um ato da livre graça de Deus, pelo qual os nossos pecados são transferidos para Jesus, sendo o nosso substituto na Cruz. Enquanto a santificação, pela presença de Deus, por habitação do Espírito Santo, e pela Palavra, nos leva a um processo constante de restauração da Imago Dei – imagem de Deus, perdida na Queda (Gn. 3). Este processo começa na terra e se completa no céu. Quando este processo se concluir, então, os salvos são glorificados, e identificados com o Cristo Ressurreto. “Ora, se somos filhos…se com ele sofrermos, para que tambem com ele sejamos glorificados. Assim estaremos com Ele (Rm. 8:17).   Rev. Mario Ramos