A FÉ E AS CIRCUNSTÂNCIAS

BOLETIM DOMINICAL- 26 DE MAIO DE 2013

A FÉ E AS CIRCUNSTÂNCIAS – Habacuque 3:17-19

Habacuque, cujo nome significa “abraçador”, demonstra sua confiança e  amor a Deus. Seu ministério profético ocorreu pouco antes da 1ª invasão do Reino do Sul – Judá por Nabucodonosor por volta de 607 a.C., quando Daniel e outros foram levados para a Babilônia. O contexto é de uma profunda crise de ordem espiritual, moral e social que havia se instalado em Judá. É diante desta triste situação por demais desesperadora que surge o profeta de Deus. O período é marcado por uma verdadeira desordem na sociedade, opressão, contendas, trabalho escravo, litígio, violência, parcialidade na aplicação da lei, injustiça, corrupção, idolatria, enfim, toda sorte de iniquidades retratavam a triste realidade em Judá naqueles dias. Habacuque, se mostra perplexo e inconformado com a situação reinante, busca em Deus uma resposta. Você acha que estamos vivendo um tempo de crise também? Há alguma semelhança entre a realidade descrita de 2600 anos atrás e a realidade atual? Qual será o nosso comportamento como Igreja de Cristo diante de tremendos desafios que desafiam a nossa função profética? Somos no Congresso Nacional a 4ª maior bancada – 70 evangélicos. A PEC 99/11, na Comissão de Justiça da Câmara, aprovou à participação dos Evangélicos como autores em declarar ADIN e ADECON, sobre questões relacionadas às menorias (União homoafetiva, aborto etc.). E somamos quase 40% da população evangélica. O que temos a fazer em nossa Pátria? Será apenas questionamentos, “até quando, Senhor?…Por quê?” (vs.2-3). Nos tempos de crise, não podemos nos entregar ao desespero. Devemos sim, ter um comportamento dígno do selo de Deus em nós. Devemos agir confiantes, cheios de fé, e de expectativas quanto a intervenção de Deus. Pela boca da história sabemos o quanto o nosso Deus é especialista em transformar, pela eficácia da fé dos justos, as circunstâncias favoráveis (Hb. 3:17-19). Somos filhos da promessa. Vivemos por fé e não por circunstâncias. Vamos enfrentar este tempo crise na dependência do Senhor que nos dará a vitória. Não basta apenas questionar, orar e ter expectativas. É indispensável a pró-ação da Igreja, a começar por mim e você, numa demonstração de fé. Rev. Mario Ramos