A EXPANSÃO MISSIONÁRIA DA IGREJA

Nº  110  BOLETIM DOMINICAL- 30 DE JULHO DE 2017

A EXPANSÃO MISSIONÁRIA DA IGREJA – Atos 8: 1-3

Desejamos na atualidade, viver e testemunhar o Evangelho da graça, numa igreja dinâmica, alegre, acolhedora, fraterna e vibrante. Numa Igreja, onde os pressupostos da Igreja Primitiva estejam presentes e em especial, a pureza da mensagem da cruz. Numa igreja onde há o espaço entre o ministério do clérigo e do leigo; onde a liturgia, que é o espelho da Comunidade se permite o Culto tradicional e o contemporâneo; onde a Palavra seja central na vida dos adoradores; onde há credibilidade com a fé, a ética, a verdade e a moral; onde a todos é assegurado o dever e direito iguais, pela responsabilidade do Evangelho integral e integrado. Entendemos ser este o perfil da igreja de Igreja para melhor e mais atender às reais necessidades do homem moderno. Sabemos, contudo, que não se pode e nem se deve Remover os marcos ou os fundamentos já postos. O texto acima, diz que a morte de Estevão desencadeou forte perseguição contra à igreja. É morto o primeiro mártir da Igreja firme na fé.” Na sábia providência de Deus, e sua permissibilidade, a morte trouxe vida nova à igreja. Era preciso sair dos limites de Jerusalém, sob pena de ser o cristianismo rebaixado ao nível de uma seita judaica. Os fatos determinantes foram: A descida do Espírito Santo (At. 2). O episódio da morte de Estevão (At. 8). A Conversão de Saulo de Tarso na Síria (At.9). A visão missionária da Igreja de Antioquia (At.13). A Ordem Apostólica de Paulo (At. 13) e por fim, a decisão do 1º Concílio –Presbitério de Jerusalém e suas recomendações aos gentios (At. 15). O Cap. 8 de Atos é muito significativo para a história e o triunfo da Igreja que deixa de ser uma instituição puramente judia, começa agora a expandir-se para além das fronteiras da palestina. Agora vemos Felipe pregando aos samaritanos. No incidente com o eunuco etíope o Evangelho alcança a África. Com a pregação em Filipos, vemos a conversão de Lídia; de uma jovem adivinhadora; e o carcereiro – o Evangelho se expande para a Europa. As viagens missionárias de Paulo – levam o Evangelho para a Ásia e Europa, plantando e consolidando igrejas. É uma linda história de bênçãos, de vitórias e expansão missionária da Igreja. De fato, a diáspora foi forçada. Fugiram em busca de segurança, sobrevivência e paz por toda a parte. Porém, Deus era com eles e no conforto do Espírito Santo crescia  a Igreja e a Palavra prevalecia. Aleluia!        Rev. Mario