A ERA DO ESPÍRITO SANTO, O CONSOLADOR!

Nº 49 – BOLETIM DOMINICAL- 10 DE ABRIL DE 2016

A ERA DO ESPÍRITO SANTO, O CONSOLADOR!  Jo. 14: 16-24

O Calendário Cristão, nos oportunisa a aprender sobre a relação do Espírito Santo com o homem. Ele é o outro Consolador, porque a presença de Jesus é consoladora. O Espírito Santo, provém do Deus Pai e do Deus Filho. Ou seja, no cristão, habita a plenitude da glória de Deus, pela Trindade. O Espírito Santo, é pois, este PARÁKLETO, que quer dizer, aquele que está ao lado de alguém para assistí-lo; aquele que assume a causa do outro; aquele que está presente para prestar o socorro e consolar. Daí o uso deste termo dado ao Espírito Santo. Ele é Deus, a Terceira Pessoa da Trindade. A promessa e o envio do Consolador estão relacionados com a Ressurreição, com a Ascensão e com a Segunda Vinda de Cristo, a Sua Parousia. 1 – Coma Ressurreição: Foi após a ressurreição que Jesus fez a promessa, conforme Lucas 24:49, que está estreitamente relacionada com Joel  2. Neste momento, o corpo ressurreto era o mesmo com o qual Jesus viveu, mas era diferente: glorioso, transformado e com propriedades especialíssimas. O seu corpo ressurreto era a expressão exata do Seu ser, “da imago Dei” – imagem de Deus. Como Hebreus 1:3 nos ensina; 2 – Com Ascensão: Uma vez ressurreto, o corpo de Jesus não mais pertencia a este plano. Era necessário “subir ao céu” ou “ser elevado às alturas”, voltar ao Pai, à glória. Ele mesmo disse: “ Se eu não for, o Consolador não virá para vós outros” (Jo. 16:7). Vê-se que a Ascensão é essencial para o envio do Consolador; e 3 – Com a Segunda Volta: Com a ascensão de Jesus e a descida do Espírito Santo (At. 2:1-8), foi  inaugurada a era do Espírito Santo, que é tambem a era da Igreja. É claro que o Espírito Santo, sempre agiu, age e agirá. Mas, agora, Ele é enviado da parte do Pai e do Filho, para estar sempre como o Consolador conosco (Jo. 14: 16). É o Espírito Santo quem prepara o eleito de Deus para a regeneração; a igreja para o arrebatamento; é a promessa do Espírito Santo, a razão da Sua Segunda Volta. Isto pode parecer  Cristologia simples, e de fato é. Somos muito limitados no nosso conhecimento das realidades últimas da consumação deste Século. De uma coisa sabemos: O Espírito Santo, nos Consola. Rev. Mario Ramos